fluxo de caixa para clínicas

Melhore o fluxo de caixa para clínicas com essas 4 dicas

Há vários desafios a serem vencidos após a abertura de um consultório, e é fundamental ter um bom controle financeiro para garantir a sobrevivência e sucesso do negócio. Um dos principais instrumentos para atingir esse objetivo é a aplicação do fluxo de caixa para clínicas.

Neste artigo explicamos qual é o conceito de fluxo de caixa, qual sua importância para a área da saúde e expomos as 4 principais dicas para aplicar essa ferramenta de forma eficiente. Boa leitura!

O que é o fluxo de caixa para clínicas?

Trata-se da descrição da movimentação de capital na clínica em um determinado período, podendo ser semanal, quinzenal, mensal etc. Seu conteúdo inclui todas as entradas e saídas referentes às transações das clínicas médicas.

Seu objetivo é o de trazer mais organização dos gastos, fazendo com que você saiba precisamente como seu capital está sendo aplicado e onde estão os lucros ou prejuízos.

Quais são as 4 dicas para fazer o fluxo de caixa?

Confira abaixo quais são as 4 melhores dicas que asseguram que o fluxo de caixa seja feito de forma otimizada, ágil e segura.

1. Registrar diariamente a movimentação

É fundamental ser rigoroso com cada movimentação financeira, para isso, anote todas as entradas e saídas do negócio ou designe algum funcionário de confiança e capacitado para a tarefa.

Você deve ter domínio rígido do que acontece no negócio, por isso conte com a participação de todos os envolvidos na clínica, incluindo colaboradores, contadores, supervisores e administradores para fazer essa anotação.

A atenção deve ser redobrada em relação às informações corriqueiras, como as compras de materiais básicos. O importante é que nenhum gasto ou recebimento passe despercebido.

2. Criar categorias de fluxo de caixa

Com o registro das transações em mãos, agora é preciso separá-las entre receitas e despesas, o objetivo dessa dica é possibilitar que o gestor da clínica saiba onde estão as maiores receitas e as maximize, bem como encontre os maiores gastos e os minimize.

As categorias não devem ser muito simples (pois levam a um controle superficial), nem complexas demais, pelo fato de deixarem a tarefa desnecessariamente complicada. Algumas categorias consideradas como despesas são:

  • contas mensais, como aluguel, telefone, água, luz etc.;
  • custos com pessoal;
  • aquisição de material;
  • impostos;
  • despesas eventuais e variáveis, como treinamento de pessoal, compra de equipamentos, manutenções etc.

Já alguns exemplos de categorias para receitas são:

  • consultas médicas;
  • renovação de receitas médicas;
  • aluguel de salas;
  • consultorias;
  • investimentos.

3. Separar as contas pessoais das profissionais

Um dos erros mais perigosos que são cometidos por muitos empreendedores é misturar as despesas profissionais com as pessoais. Não separar as contas faz com que o gestor não consiga identificar precisamente os gastos e recebimentos da clínica, impedindo a efetivação do fluxo de caixa da clínica.

Por exemplo, o médico que usa capital da empresa para fazer compras rotineiras fará com que os lucros sejam reduzidos, mas ele não saberá se são esses gastos ou outros que estão gerando prejuízo.

4. Ter uma consultoria especializada

Os profissionais da saúde têm uma rotina bastante cheia, trabalham várias horas por dia e ainda investem em constantes estudos e atualizações. É inviável exigir que você realize as consultas, participe de treinamentos e ainda seja responsável pelo fluxo de caixa.

Por essa razão, é interessante contratar especialistas na gestão financeira, pois esses profissionais tornam o controle financeiro mais objetivo e organizado, bem como realizam o fluxo de caixa de forma precisa e maximizam os lucros do negócio. Além disso, eles ajudam no controle de diferentes formas:

  • diminuem os erros nos registros das transações e na declaração para a Receita Federal;
  • trabalham na redução dos impostos de forma legal;
  • permitem que o médico tenha tempo para se dedicar ao atendimento dos pacientes e aperfeiçoamento na sua área;
  • fazem a previsão do fluxo de caixa, permitindo verificar se a empresa cumprirá seus compromissos em longo prazo.

Adote as práticas de fluxo de caixa para clínicas apresentadas neste conteúdo para usufruir dos benefícios desse instrumento de gestão. Com elas você conseguirá garantir a sobrevivência, o crescimento e o sucesso do seu negócio.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.